quinta-feira, 26 de abril de 2012

Teia de aranha é melhor condutor de calor que alguns metais

Poucos materiais superariam a teia, como a prata e o diamante. Cientista acredita que ela poderá ser usada em aplicações comerciais. Um pesquisador da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, descobriu que a teia de aranha é um melhor condutor de calor que alguns metais. Além desta nova propriedade, a fibra é resistente, elástica e bastante fina. Segundo Xinwei Wang, a teia supera bons condutores de calor, como alumínio e ferro puro. Poucos materiais teriam capacidade de condução térmica superior, como prata e diamante. Em comparação com outros materiais orgânicos, a superioridade da teia é ainda maior: ela chega a conduzir calor mil vezes melhor que a seda do bicho-da-seda.
"Nossas descobertas vão revolucionar o pensamento convencional sobre a baixa condutividade térmica de materiais biológicos", afimou Wang em material de divulgação. O pesquisador estuda condutividade térmica e buscava materiais orgânicos capazes de conduzir calor. Wang acredita que a descoberta pode resultar em aplicações práticas da teia, como componentes eletrônicos e roupas para o verão. Fonte Globo Natureza

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Nova espécie de lagartixa é descoberta em Papua-Nova Guiné

Cientistas americanos divulgaram nesta quinta-feira (19) a descoberta de uma nova espécie de lagartixa. O animal foi batizado como “lagartixa-mamangaba”, por ter as mesmas cores do inseto. Seu nome científico é Nactus kunan. A lagartixa foi descoberta em março de 2010 em uma expedição na Ilha Manus, na Papua-Nova Guiné, mas só foi descrita agora, em um artigo publicado na edição de abril da revista científica “Zootaxa”.
O réptil tem 13 centímetros da cabeça até a cauda. Sua pele listrada em preto e dourado facilita a camuflagem no solo da floresta. Outra característica marcante da espécie são os dedos bastante finos. “A espécie foi uma surpresa admirável, já que venho trabalhando com o gênero desde a década de 1970 e não poderia prever a descoberta”, afirmou George Zug, do Instituto Smithsoniano, um dos autores do estudo. (Fonte: G1)

Tityus bahiensis - acasalamento



Descrição:
A pesquisa busca detalhar cada movimento dos escorpiões e entender seu comportamento neste verdadeiro "jogo de sedução" que é o acasalamento. Cada espécie tem uma conduta diferente, umas injetam veneno, outras não; umas são mais demoradas, outras agem rapidamente.

Vídeo entitulado A corte do Tityus bahiensis - o escorpião-marrom, relata estudo feito pelo departamento de Zoologia da USP (IB USP), por Sabrina Outeda, Jorge Ricardo Pinto da Rocha, Humberto Y. Yamaguti, e traz em fases detalhadas, como é realizada a corte nessa espécie.


É um vídeo interessante de 4min, e como cita a descrição, auxilia bastante o estudo e entendimento reprodutivo dos aracnídeos. Vale a pena assistir.

Tityus bahiensis

Se distribuem pelos Estados BA, ES, GO, MT, MS, MG, PR, RJ, RG, SC e SP, além do Paraguai e Argentina. O tamanho destes indivíduos varia de 5,5 a 7 cm. Seu nome popular deriva da coloração marrom avermelhada que apresentam. O cefalotórax e o abdome são mais escuros, e as pernas e pedipalpos possuem manchas. Na cauda, o 4° e 5° segmentos são mais escuros que os demais.

Alimentação

O
Tityus bahiensis costuma se alimentar de baratas, grilos, tenébrios, aranhas, e até larvas de insetos.

Comportamento

Em geral não são tão agressivos, mas uma agressividade notável existe em femêas grávidas e principalmente quando carregam os filhotes nas costas. Quando perturbada, ela movimenta sua cauda sobre seu corpo, balançando-a, num gesto de alerta para predadores. Quando machos são perturbados eles, de início, fogem, mas se a perturbação persistir, ele não hesita em picar.

Veneno

O Seu veneno é neurotóxico, age sobre o sistema nervoso, mais precisamente no bulbo, muitas vezes levando o indivíduo, se nao tratado, ao óbito por paralisia respiratória. A esperança de vida de uma criança picada por um Tityus Bahiensis e de 2 horas. Em caso de uma criança gorda, 15 minutos. O tratamento inclui soro antiescorpiônico e soro antiaracnídico. Seu veneno só não é mais potente que o do Escorpião amarelo (
Tityus serrulatus) pois costuma inocular menos veneno. Ou seja, o veneno é praticamente o mesmo.




veja também:

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Deinacrida heteracantha O GIGANTE


Um amante da natureza revela como passou dois dias rastreando um inseto gigante em uma remota ilha na Nova Zelândia e que ainda comeu cenoura em suas mãos. Mark Moffet, cientista de 53 anos de idade, O inseto gigante foi encontrado em uma árvore em uma ilha neozelandês. O cientista se deparou com a criatura semelhante a um grilo, cuja envergadura de asas mede 17,8 centímetros. O arrepiante inseto é uma espécie encontrada em uma ilha chamada Little Barrier, na Nova Zelândia, embora existam outros 70 tipos menores. Os gigantes da espécie foram “varridos” do continente por ratos trazidos pelos europeus. Depois que Mark encontrou a fêmea da espécie ele a alimentou antes de colocá-lo de volta ao seu lugar. “Três pesquisadores caminhando pela ilha à procura do ‘grilo’ gigante, passamos muitas horas sem sinais do gigante, antes de avistá-lo em uma árvore. Era uma fêmea, então, alimentamos o inseto com uma cenoura e ela parecia ignorar o fato de estar em minhas mãos.” 


A fêmea gigante cheia de ovos pode chegar até 70g a mais do que as outras espécies encontradas na ilha. Ela e geralmente menos social e mais passiva do que os demais. Sua dieta consiste em plantas, outros pequenos insetos e frutas. Seu tamanho é um exemplo de gigantismo, que é um fenômeno biológico levando a um tamanho maior do que seus parentes do continente por causa de seu isolamento e falta de grandes predadores.